terça-feira, 22 de março de 2016

Budapeste - A descobrir a cidade (a pé), o Mercado e o Pôr do Sol na Citadela

Depois de um voo, que saiu à 1 da manhã de Lisboa, extremamente turbulento (ao ponto dos hospedeiros de bordo deixarem de servir refeições) chegamos às 5 da manhã a Budapeste. Eramos um grupo de 5 e pensavamos que alguém da organização do intercâmbio estaria a nossa espera. Errado! Olhamos por todo o lado e não encontramos ninguém portanto tivemo-nos de guiar por instruções que felizmente tinham sido dadas a uma das pessoas.

O primeiro passo foi comprar o passe. Felizmente as máquinas tinham uma opção que permitia fazer todo o processo em inglês, o que nos facilitou imenso a vida. Depois apanhámos um autocarro que vai até à estação de Kőbánya-Kispest (linha de metro nº3). Daí apanhamos o metro e saímos em Nagyvárad tér onde fomos ter à nossa residência, onde dormimos umas 3 horas, para depois sairmos para começar a explorar a cidade.

Primeira paragem - Kálvin Tér

O banco CIB que se vê na foto era onde eu fazia a troca de euros para forints






Já que estávamos na zona, aproveitamos para passear pelo Mercado de Budapeste. 
No piso térreo temos bancas de frutas, charcutaria e bebidas típicas, no piso superior tem as lojinhas mais típicas de souvenirs e do piso subterrâneo tem uma peixaria e um mini supermercado.
É um ambiente cheio de cor, vívido, onde os estrangeiros se misturam com os locais e, como tal aconselho seriamente a visitarem 
Se querem um sítio para comprar souvenirs (fizemo-lo nos últimos dias) este é um bom local para isso. Só têm é que explroar todas as barraquinhas e descobrir onde estão os preços mais baixos
De vez em quando, há eventos especiais no mercado como "O dia da tailândia" onde há apresentações cim danças tradicionais e onde é distribuída gratuitamente comida típica. 








Depois de explorarmos o mercado e de almoçar, decidimos fazer uma caminhada à beira rio. Caminhamos na margem Peste desde a ponte da Liberdade (Szabadság) até à ponte das Correntes (Széchenyi Lánchíd). É um passeio que se faz muito bem, desde que à sombra, visto estarem mais ou menos 40 graus. Espreitamos várias igrejas pelo caminho, incluindo a igreja ortodoxa grega, mas, por se estarem a realizar cerimónias não tirei nenhuma foto.







Atravessámos para o lado de Buda na ponte das Correntes (notem o leão sem língua). A vista é absolutamente incrível






Já em Buda, fizemos o percurso inverso, de modo a voltar à estação de metro inicial e voltar a casa. Encontramos esta casa de chá adorável, que por muito pena minha, não voltamos a visitar








Ao fim da tarde, fomos persuadidas a voltar ao centro da cidade para vermos o pôr do sol desde a citadela. Se a maior parte da cidade é plana, a citadela fica no cimo de um monte. Apesar de cansadas e já atrasadas, conseguimos subir em menos de 10 minutos e assistimos ao pôr do sol e ao acender das luzes de Budapeste.







E este foi o primeiro dia, bastante preenchido, e é aquilo que aconselho a que todos façam se visitarem a cidade.
Nos próximos dias há mais
xoxo

Nota importante: foi neste dia que encontrei os híngaros mais simpáticos de sempre que me carregaram as malas nas escadas do metro.

2 comentários:

  1. Li este post e olhei para estas fotos maravilhosas ao ouvir a "Budapeste" do George Ezra! ;)

    ResponderEliminar
  2. As fotos do mercado, que maravilha! Tanta cor! Nunca fui a Budapeste mas obviamente está nos planos. Estou a delirar com as tuas fotografias da Hungria :) Estas duas últimas do entardecer são lindas.

    Aonde (não) estou

    ResponderEliminar